Image and video hosting by TinyPic

ATENÇÃO!

Este Site não visa fins lucrativos nem tem como objetivo reproduzir as obras.Nosso único objetivo é divulgar o trabalho dos cantores e fazer com que você avalie o arquivo antes de adquiri-lo.Se você gostou deste cd, procure uma revendedora mais próxima de sua casa e COMPRE Original, não incentive e nem faça pirataria, jamais compre arquivo PIRATA.OBS: Srºs Cantores se algo contigo neste site lhe causa algum dano ou prejuizo nos comunique para que possamos retirá-lo imediatamente de nosso site. O Portal Visão News gospel, Nao Se Responsabiliza Pelos Links Aqui expostos!

IMAGENS


A maioria das fotos deste blog foi retirada do Google Imagens.

REPRODUÇÃO DE TEXTOS

A cópia integral ou em parte de textos deste blog é livre, desde que seja dado o crédito com link para cá. O FairShare rastreia todas as reproduções.

* Não nos responsabilizamos pelo mal uso do conteúdo encontrado no Site e também por qualquer dano ou prejuízo causado por algo postado aqui.

* Os donos, webmasters e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção do site não tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar e para que ira utilizá-los.

Fábricas de bolinha de gude e pião sobrevivem e faturam R$ 90 mil por mês



Fábrica faz 400 mil bolinhas de gude em um dia e fatura R$ 90 mil por mês14
fApesar do sucesso de videogames e smartphones entre as crianças, ainda há empresas que investem em brinquedos tradicionais como negócio; em Guarulhos (SP), a fábrica de bolinhas de gude Embalado tem capacidade para produzir 400 mil bolinhas em um dia e fatura R$ 90 mil por mês; clique nas imagens acima e veja algumas etapas da produção do produto Leticia Moreira/Folhapress

Em uma época em que a atenção das crianças é dividida entre tablets e smartphones, ainda há quem aposte em bolinhas de gude e piões como negócio. É o caso da fábrica Embalado, em Guarulhos (região metropolitana de São Paulo), que vende cerca de 4,5 milhões de esferas de vidro por mês, ao preço de R$ 0,02 cada, e fatura R$ 90 mil.

O dono da fábrica, Antônio Carlos Rielo, 70, produz bolinhas de gude há 40 anos. O produto é feito de restos de vidro, que ele compra de indústrias. Os cacos são derretidos em um forno a 1.300ºC e as gotas do material incandescente caem em um cano que vibra e dá forma esférica ao vidro.


Depois de prontas, as bolinhas precisam ser resfriadas durante 24 horas em temperatura ambiente. Em um único dia a empresa chega a derreter três toneladas de vidro para produzir 400 mil bolinhas de gude, segundo Rielo. Seus principais clientes são bazares, docerias e lojas de armarinhos.

Na zona leste de São Paulo, a Costero tem capacidade para produzir mais de 1 milhão de bolinhas de gude em um dia, segundo a sócia do negócio Carmen Valdeti, 60. De acordo com ela, a empresa vende cerca de 10 milhões de bolinhas de gude ao mês.

Uma embalagem com 300 bolinhas lisas (de cor única) custa R$ 3,50, enquanto 150 bolinhas carambolas (com três cores dentro) saem por R$ 5,40. O faturamento não foi informado.
Pião ainda é popular em regiões carentes

Outra brincadeira de antigamente que resiste no mercado é o pião de madeira. Nelson Signorelli Júnior, 32, e o pai produzem piões há 16 anos no bairro de Itaquera (zona leste de São Paulo). As vendas são feitas por atacado em embalagens de 12 a 300 unidades. Cada um custa R$ 0,75 com cordão (também chamado de fieira).

Por mês, a empresa vende cerca de 20 mil brinquedos, principalmente para Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul e lojas da rua 25 de Março, na capital paulista. "Ainda há muitas regiões carentes onde o pião é bastante popular porque as crianças não têm condições de comprar brinquedos eletrônicos", afirma. O faturamento não foi informado.
Negócios já foram mais lucrativos

As três empresas relatam que já viveram dias melhores. Signorelli Júnior afirma que, no início do negócio, vendia o dobro de piões. "É muito difícil competir com os aparelhos eletrônicos. Tenho um filho de 7 anos que passa boa parte do dia jogando no computador e no celular."

Rielo, por sua vez, diz que já teve 22 funcionários. Hoje, a fábrica funciona com 15. "Já tentei mudar a embalagem, reduzir a quantidade de bolinhas, mas nada surtiu efeito", declara.

Diante da dificuldade, as bolinhas de gude ganharam novo fôlego em outros nichos. Além das brincadeiras infantis, o produto é usado em artigos de decoração, artesanato e no interior de latas de spray de tinta.

Segundo Valdeti, 40% da produção da Costero vai para a indústria de tintas; 30% vão para lojas, que revendem para o consumidor final; e os 30% restantes são usados na decoração. "Se dependêssemos apenas da venda para crianças, a empresa já teria fechado", diz.
Mercado tem poucas oportunidades, diz consultor

O cenário é pouco animador para quem pretende investir em brincadeiras de antigamente, como bolinhas de gude e pião, segundo o consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), Marcelo Sinelli.

Para o consultor, a competição com os eletrônicos é muito difícil e o processo de urbanização das cidades também dificulta a venda desses artigos para crianças. "Não há mais tantas áreas descampadas ou terrenos baldios para se jogar bolinha de gude e pião como havia antigamente", diz.

Uma alternativa, de acordo com ele, é investir em novos nichos de mercado. "O empresário pode mudar o público e vender o produto para o adulto que costumava brincar na infância ou mesmo para empresas que utilizem a mercadoria em alguma etapa de seu processo produtivo, como é o caso das latas de spray e da decoração", diz.
Fonte-UOL


Como é chamada a bolinha de gude na sua região?

Berlindre-Bilosca-Birosca-Bolita-Bùraca-Fubeca-outros





Comentários












By Scraps Gospel ®

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também





Botão Bíblia 1

Postagens mais visitadas deste blog

Certificado de Batismo para download

Péricles ex-exaltasamba aceita Jesus e agora se torna um cristão.

Campanha de Myrian Rios "CONTRA SEXO ANAL" é FALSA.